O que realmente importa

O homem parece ainda não ter aprendido a ter autocontrole perdendo a paciência muito facilmente. Enquanto ele não aprender a se conhecer continuará perdido. O domínio próprio é uma chave ainda pouco investigada. Para isso é preciso antes de tudo fazer uma autoimagem e perceber como estamos hoje.

Faço-lhe um convite à reflexão para identificar como poderemos ter um domínio maior sobre nós mesmos. O homem perde a cabeça com facilidade e pouco entende o porquê disso. Parece que vivemos em constante guerra até com aqueles que nos são mais próximos. Não devemos ser tão competitivos, pois somos todos irmãos e verdadeiros filhos de Deus. Devemos repensar nossas atitudes tanto em nível pessoal quanto em nível social.

Precisamos nos interiorizar mais. Aprender a ouvir a voz interior que tanto clama por nós. Modifiquemos nosso comportamento e paremos de agir feito crianças birrentas. Nossa maturidade não deve ser apenas corporal, mas deve também ser mental. Quantas pessoas que você conhece que se dizem adultas, mas continuam a agir feito crianças em determinadas situações.

Cada vez mais parecemos duelar ao invés de conviver. Vivemos numa jaula de leões famintos brigando por um pedaço de carne. O que não deveria ocorrer, pois há espaço para todos. Nosso planeta é grande e tem infinitos lugares disponíveis. Devemos achar nosso próprio lugar ao sol ao invés de lutar contra o outro para tomar o lugar dele.

Não estamos numa selva onde só os mais fortes sobrevivem. Todos somos fortes. A fraqueza está em nossa mente. Enquanto duelamos deixamos de aproveitar nosso lugar que foi tão cuidadosamente preparado.

O autocontrole começa por deixar de se levar pelos que os outros dizem. Ficamos tão preocupados querendo assumir a face que nos taxam que esquecemos, que devemos viver a vida à nossa maneira. Precisamos parar de deixar que os outros nos influenciem. Cada um deveria ser dono de seu próprio nariz.

Perdemos tempo focando-nos nos outros enquanto que o autocontrole ensina que antes de querer julgar os outros devemos nos olhar no espelho. Precisamos nos descobrir e nos entender antes de querer emitir uma opinião sobre o comportamento do outro. Ficamos tão preocupados em julgar que deixamos a porta fechada para as boas relações sociais e cada vez estamos mais perto da solidão.

Mude seu foco. Tire um tempo para você. Seja resiliente. Permita-se relaxar um pouco. Ficamos tão entretidos em nossos empregos que, às vezes, nos esquecemos que devemos cuidar de nós. De nada adiantará uma fortuna se não pudermos aproveitá-la. Use sua semana com sabedoria e lembre-se de reservar um tempo para alguma atividade que lhe dê prazer.

Nossa busca incessante pelo supérfluo nos desabilita a perceber as boas coisas da vida.

A felicidade suprema é uma utopia, mas se aprendermos a aproveitar cada minuto de nossos dias chegaremos o mais próximo possível do segredo das pessoas verdadeiramente felizes.

Tente outra vez

Em determinados momentos nos arrependemos de não ter feito certas coisas, e quem sabe se nossas conquistas foram válidas. Nossa vida tem muitas provações, mas o espírito necessita delas para se desenvolver. Espinhos no caminho sempre existirão, cabe a você pisar neles ou tirá-los do caminho.

Nossos olhos parecem brilhar por tudo que representa status. Mesmo a fama a qualquer preço se tornou o alvo de muitos. Dinheiro fácil vem e vai, aliás, hoje em dia parece que o dinheiro some que nem água. Na verdade em nossa busca para tornarmo-nos poderosos da rua acabamos perdendo o que realmente tem valor.

Perdemos tanto tempo de nossas vidas com bobagens quando deveríamos ser mais produtivos. A fama é uma faca de dois gumes, ela pode lhe dar tudo que você deseja, mas também pode lhe tirar tudo de uma hora para outra. Precisamos estar vacinados contra as armadilhas da vida. As ruas guardam surpresas a cada esquina. É preciso andar com cautela. Certos perigos são resultados de nossa própria teimosia. Muitos se perdem por não abrir seus ouvidos aos conselhos. “Quem avisa amigo é.” Esse dito popular tem um fundo de verdade, pena que nós, na maior parte das vezes, não ouvimos e dizemos que é besteira ou pura perseguição.

Aquela velha história de ninguém me entende é conversa para boi dormir. Você só colhe o que plantar. Pelas estradas da vida muitos desafios você encontrará, mas com a guia de Deus você é capaz de superar todas as dificuldades. Ninguém é tão fracassado que não possa melhorar. Sempre existe oportunidade para quem sabe procurar. Se você não acha o que está procurando talvez esteja buscando no lugar errado. Aprenda a olhar nos lugares certos.

Nossos conselheiros apenas buscam o nosso bem, pena que o ego parece não aceitar. Como é difícil seguir um conselho e parece que nosso egoísmo prefere bater com a cara no muro do que dar a volta.  Se encontrarmos a porta fechada num lugar devemos continuar andando, pois uma hora aparecerá uma porta que estará aberta.

Conta-nos uma história antiga de um pedinte que ia de porta em porta buscando comida. Certa noite depois de tentar várias vezes eles já estava desistindo quando ouviu uma voz dizendo: tente outra vez. Ele não sabia de onde a voz vinha, mas esse incentivo o encheu de coragem e ele decidiu tentar. Assim tentou mais uma vez.

A casinha era simples, mas ao bater à porta uma velha senhora lhe atendeu e lhe ofereceu que ficasse para jantar. Naquele dia ele comeu como um rei. A senhora ao conversar com ele lhe deu roupas novas e o incentivou a trabalhar novamente. Aquelas doces palavras ditas pela mulher o comoveram e qual não foi sua surpresa, no dia seguinte ele conseguiu novo emprego. Moral da história: Se uma porta estiver fechada, não desanime que um dia uma porta abrirá e essa porta aberta poderá mudar sua vida.

Às vezes, ficamos tão focados no brilho da ostentação que nos esquecemos que os melhores perfumes estão nos menores frascos. Faça a diferença com pequenas ações e verá que em pouco tempo sua vida mudará. A vida não é feita de grandes obras, mas de pequenas conquistas.